MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL INTERDITA MATADOUROS EM SERGIPE. APENAS 02 ESTÃO AUTORIZADOS A FUNCIONAR, EM ITABAIANA E PROPRIÁ

Na tarde dessa terça-feira, 06, o Ministério Público Federal realizou audiência pública sobre interdição de matadouros públicos. Estiveram presentes representantes do poder público municipal e comerciantes de Itabaianinha e Tobias Barreto onde na manhã de hoje tiveram seus matadouros interditados.


imprimir

Publicado em: 2018-11-06

 Na tarde dessa terça-feira, 06, o Ministério Público Federal realizou audiência pública sobre interdição de matadouros públicos. Estiveram presentes representantes do poder público municipal e comerciantes de Itabaianinha e Tobias Barreto onde na manhã de hoje tiveram seus matadouros interditados. Na oportunidade os representantes do MPE e do MPF dissertaram sobre os motivos pelos quais haviam interditado os matadouros e deram como opção os abatedouros dos municípios de Itabaiana e Propriá além de Ribeira do Pombal na Bahia pela proximidade com o município. Estabeleceu ainda que os comerciantes são responsáveis pelas adequações nas suas bancas de comercialização, assim como pelo abate de seus respectivos animais. Foi destacado ainda a importância desta medida tomada para a melhor qualidade da carne que chega à mesa do consumidor. O Ministério Público esclareceu ainda que a problemática se estende a longos anos e que somente agora culminou nesta ação continua e generalizada por parte do Ministério Público Federal e Estadual em função da necessidade de cessar o abate irregular em todo Estado de Sergipe para garantir a proteção ao meio ambiente e a saúde pública. Ainda, segundo o Ministério Público, a adequação do Matadouro Público por parte da Administração Municipal seria praticamente inviável pelo custo benefício uma vez que está avaliado em aproximadamente 7 milhões de reais. Valor este, que o MP ponderou o município se seria viável a destinação de tal verba uma vez que a mesma poderia ser aplicada em outras áreas como saúde e educação. No final da sua fala a Procuradora da República Dr. Lívia Tinoco e o Promotor Público Estadual Carlos Henrique destacaram que em outros municípios onde já ocorre a adequação, o custo final para o consumidor chegou ao máximo de 1 real por quilo e que viram na próxima segunda feira, 12, para fazer a fiscalização e o material irregular será apreendido e destinado a alimentação de animais em zoológicos como determina a lei. Durante a audiência pública esteve presente o Prefeito de Tobias Barreto Diógenes Almeida acompanhado do Procurador do Município Dr. Vinicius Rodrigues, do Secretário de Comunicação Social Bruno Vasconcelos, do Secretário de Desenvolvimento Agropecuário Fundiário e Meio Ambiente Manoel Jobson (King) e da Secretária Municipal de Saúde Emanuelly Hora que se fez presente acompanhada do Coordenador Municipal de Vigilância Sanitária Roberto Veira.